MT é destaque mais uma vez em pesquisa de produção agrícola do IBGE


Foi publicada na última semana a edição 2017 da pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM), elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a divulgação, a produção agrícola do Brasil no ano passado chegou a R$ 319,6 bilhões, representando uma queda de 0,6% frente ao ano anterior.

A safra recorde em 2017 acabou tendo um impacto negativo nos preços, gerando essa retração no valor geral. A produção no período foi de 238,4 milhões de toneladas de leguminosas, cereais e oleaginosas, representando 28,2% de crescimento na comparação com 2016.

MATO GROSSO

O estado de Mato Grosso foi um dos grandes destaques do relatório, como de costume. Na produção por municípios, a cidade de Sorriso atingiu o maior valor do país. O crescimento foi de 2,4% na comparação com 2016, chegando a R$ 3,3 bilhões.

De acordo com o IBGE, a soja é o destaque na agricultura do município. Dos 1,2 milhão de hectares colhidos, 620 mil eram de soja.

"O estímulo para a produção de soja não veio do valor pago por tonelada que foi, em média, R$ 1.000, 7,5% inferior ao ano anterior, mas do clima propício à produção, com chuvas abundantes e dentro da época esperada para o plantio", aponta o documento da PAM 2017.

A cidade já ficou em primeiro lugar no ranking do valor de produção por 11 vezes. Com população estimada em 87.815 pessoas, Sorriso tem 9,3 mil quilômetros quadrados, seis vezes maior do que a capital paulista.

Em segundo lugar no ranking dos municípios de maior valor de produção agrícola em 2017 ficou Sapezal, também em MT. O valor de produção registrado, de R$ 2,6 bilhões, foi 6,1% abaixo do registrado em 2016. Na cidade o destaque é o algodão, do qual Sapezal é o maior produtor nacional.

DESTAQUES

Milho e soja foram as culturas protagonistas, mais uma vez. A soja avançou 18,9%, subindo para 114,6 milhões de toneladas, enquanto o milho registrou crescimento de 52,3%, representando 97,7 milhões de toneladas do total da produção.

"Em virtude da queda na produção de milho em 2016, os preços ficaram bastante elevados, influenciando a decisão do produtor, que aumentou a área do milho em 10,4%", diz o documento da PAM 2017. Como resultado, o valor da produção do milho caiu 12,7% na passagem de 2016 para 2017, para R$ 32,9 bilhões.

Além do milho, houve quedas no valor da produção do feijão (28,8%, para R$ 6,9 bilhões), do café arábica (21,7%, para R$ 14,5 bilhões) e do tomate (20,9%, para R$ 4,3 bilhões).

"Apesar da redução no valor da produção, a agricultura teve grande destaque em 2017. As safras recorde de soja e milho proporcionaram a exportação de grandes volumes, ajudando a equilibrar o saldo da balança comercial brasileira", diz o documento do IBGE.

Por Gustavo Castello Branco - Assessoria de Imprensa Evolua 32

Destaque
Notícias Recentes