Informativo da CNT avalia prejuízos à economia com diesel superinflacionado


A CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgou no último dia 25 de abril, sua mais nova edição do informativo Economia em Foco. Nela consta uma realidade - já observada - difícil para caminhoneiros autônomos e empresas dedicadas ao transporte de cargas, com implicações diretas para o bolso do consumidor final: o preço do diesel vem subindo acima da inflação nos últimos anos.

De acordo com a publicação, entre 2014 e 2015 o reajuste médio no país foi de 12,55%, ao passo que a inflação geral ficou em 10,67% no mesmo período. Ao ampliar o cenário os problemas ficam ainda mais evidentes: em 24 meses a inflação sobre o combustível foi de 20,7%, enquanto seu valor internacional - cotado em dólar americano - teve uma retração de 48,2%.

ORIGEM

Segundo a CNT, a inflação sobre o diesel tem origem em diversos fatores combinados, entre eles a elevação da carga tributária, a corrupção na Petrobras e a instabilidade no preço do biodiesel .

PREJUÍZOS

Em seu parecer, a Confederação Nacional do Transporte avalia que tal cenário retarda ainda mais a recuperação da economia nacional. “Forçar o transportador e, por sua vez, a atividade produtiva brasileira a arcar com uma diferença de preços de mais de 60% em um item de custo tão relevante como é o combustível gera graves problemas de competitividade global".

Por Gustavo Castello Branco - Assessoria de Imprensa Evolua 32

Destaque
Notícias Recentes