Fiscalização promete fechar o cerco contra fraudes no uso do Arla 32 em 2016


Policial e agente do IBAMA realizam fiscalização em caminhão. Não levou muito tempo entre o Brasil adotar o padrão Euro 5/Proconve - em 2012 - e as transportadoras e caminhoneiros encontrarem meios de burlar as tecnologias propostas para a redução na emissão de poluentes. Entre elas, o Catalisador de Redução Seletiva (sigla SCR, em inglês), que introduziu o uso do Arla 32

Contudo, ações conjuntas entre Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) prometem tornar cada vez mais difícil a vida de quem burla o sistema.

2015

Em 2015, os esforços se concentraram nos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Paraná, gerando mais de 150 autuações e resultando em algumas dezenas de veículos apreendidos.

2016

Para 2016, a fiscalização deve ser ampliada para todo o território nacional, tornando mais difícil a vida de quem não faz o uso devido da solução Arla 32 e do sistema redutor de poluentes.

DADO PREOCUPANTE

A Afeevas (Associação dos Fabricantes de Equipamentos para Controle de Emissões Veiculares da América do Sul), outro parte atuante na fiscalização e combate às fraudes, alerta para um dado importante: cerca de 30% da frota de caminhões que circula pelo país com tecnologia SCR faz uso de emuladores e outros meios 'alternativos' para burlar o sistema e dispensar o Arla 32 nas proporções corretas. O que acarreta não apenas prejuízos ambientais, como também pode causar danos severos ao motor do veículo.

Por Gustavo Castello Branco - Assessoria de Imprensa Evolua 32

Destaque
Notícias Recentes